terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Resgate

Resgate
Luiz Carlos Meneses 

Pra não deixar morrer,
decidi lhe ver.
Decidi aparecer,
só pra não deixar morrer.


Por ora há muito movimento,
a vida é toda confusão.
Falta fôlego, falta espaço,
sobra preocupação.


A cada dia, um dilúvio,
em cada noite um apagão.
O corpo range e reclama.
A cabeça queima em vão.


Mas ainda sou poeta, sabe?
Ainda sou pateta, profeta, pária apaixonado, plebeu e pagão.
E pra não morrer,
resolvi lhe dar a mão.


Eu te amo,
poesia.


E ainda estou aqui.

-------------


E você, caro leitor, ainda está aí?

6 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Ainda estou aqui... Relativamente falha em minhas visitas, mas com saudades de suas poesias que tanto nos acalentam a alma. Belíssimo uma poesia, em base, falando de poesia. Poesia é tudo, e aqui você certamente torna ainda mais lindo tudo o que ela é!
    Não te demores em postar mais tantas outras... Esperarei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro, eu vim ler o seu blogue.
      Agora, estou lhe convidando a visitar o meu, e se possivel seguirmos juntos por eles. O meu blogue, é muito simples. Mas, é leve, dinamico e sobretudo Independente. Palpitamos sobre quase tudo. Diversificamos as idéias. Mas, o que vale mesmo, é a Amizade que fizermos.
      Estarei grato, esperando VOCÊ, lá.
      Abraços do
      http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

      Excluir
  3. Gosto de sua paixão pela poesia...
    Um abração!

    ResponderExcluir

Olá! Seja bem-vindo e obrigado por aceitar o convite, leitor!